Esperava poder contar estas histórias no Rádio Clube., somando-as a outras 70 que lá contei sobre a minha luta contra um cancro. Não vai acontecerr! A PRISA/MCR, vai despedir-me... Despede-me, ok...mas não me cala. Continuarei aqui esses relatos

Foi mais uma daquelas noites em que havia anjos na enfermaria a fazer horas para levar um de nós.

Mais uma vez misturados entre os enfermeiros e os médicos, havia ali figuras aladas à espera…
Desta vez, esperavam pelo senhor Joaquim. 
Ele era um velho muito velho e estava sempre de boca aberta e a tossir. Naquela noite faltou-lhe o ar ainda mais do que era costume. Pelo monitor, que estava virado para mim, vi bem que aquele coração já não batia para viver.  Assim como nenhum coração batia por ele.
Morria ali um homem só. Um homem que ninguém visitava, a não ser um amigo que passava as horas da visita calado aos pés da cama. De resto só tinha os meus sorrisos (às vezes forçados) por companhia.
“É hoje que te vais amigo! Trocamos olhares pela última vez…” – disse para mim.
E assim foi.
Costuma dizer-se que no momento da morte revisitamos os momentos e as pessoas que mais marcaram as nossas vidas.
Não acredito que fosse esse o caso do senhor Joaquim. De tão debilitado que estava, acredito que tudo o que revisitasse, o faria como se o vivesse pela primeira vez (só assim se compreendem alguns sorrisos que se lhe soltavam uma vez ou outra).
Ao contrário, somos nós, aqueles que assistimos impotentes ao fim de uma vida, ali diante dos nossos olhos, que nos agarramos às nossas memórias. Aos que mais amamos. Sentimos o medo, o verdadeiro medo da morte.
De resto  da morte dos outros pode fazer crescer em nós uma a grande vontade de viver.  
Falo por mim. Nessa noite decidi que ia lutar com mais força para sair daquela enfermaria, onde já estava há bem mais de dois meses.
Quanto ao senhor Joaquim, quando acordei no dia seguinte já não estava lá…
PBM
publicado por Novas Crónicas da Sala de Espera às 22:08 | link do post
Querido Pedro, Tenho a certeza que a mesma força que o animou a escrever a primeira série das crónicas e a manter-se sempre atento, preocupado com o trabalho e com as pessoas será aquela que vai estar agora presente. Todos os seus ouvintes/apoiantes/amigos estão consigo nesta luta pela desumanidade que se tem vindo a instalar entre nós.
Mas temos que o fazer com actos. Sugiro uma das ideias que vi - "entupir" a caixa de correio do CEO da PRISA com os nossos testemunhos!
ceo@prisa.es - Juan Luis Cebrian
Beijos e abraços, o clube de fans
Clube de fans PBM a 2 de Novembro de 2009 às 13:38
Fiquei indignada com o que acabei de saber acerca do despedimento do Sr. Pedro Múrias . Realmente o nosso País precisa urgentemente de pessoas com dignidade, carácter e sobretudo com inteligência humana. Ao Sr. Pedro Múrias quero deixar a seguinte mensagem:
Não baixe os braços, continue com a mesma força, com o mesmo espírito lutador, pois apesar do que lhe aconteceu, acredito que vai haver alguém que lhe vai dar o devido valor profissional que tem.
Em relação aos Srs. da Prisa , não tenho espaço suficiente para escrever aquilo que deve ser dito.
Teresa a 5 de Novembro de 2009 às 16:57
Todos os dias, lido com pessoas que estão a lutar contra o cancro. E ás vezes fico sem palavras perante a força e a luta que eles tem contra a doença. A vontade de viver, ás vezes de recomeçar uma vida nova, com nos hábitos, leva-os a conseguir vencer a doença. Mas quem sou eu para tar aqui a falar. Você afinal foi uma dessas pessoas que conseguiu vencer a doença. Que o seu exemplo sirva para dar força a outros que estão a lutar contra o cancro, e aos familiares deles. O apoio da familia por vezes se não sempre, é fundamental. Eu tb infelizmente conheço muitos senhores joaquins, que nós os bombeiros, medicos, enfermeiros, etc. é que muitas vezes somos a familia que lhes falta. Para puderam desabafar, para ouvirem uma palavra amiga de encorajamento.
Anselmo Damásio a 5 de Novembro de 2009 às 18:46
Para minha tristeza só agora tomei conhecimento da sua história. Fico triste por não o ter podido ouvir na rádio antes e só chegar até si através da internet. Independentemente disso, peço-lhe por favor que continue aqui as suas crónicas, são absolutamente essenciais e digo-o com conhecimento de causa, porque sei quanto as histórias de luta e sucesso fazem falta a quem enfrenta, como o meu pai, um problema parecido com o seu.
Muita força para si e continue com este trabalho, o qual certamente começarei a seguir de forma assidua. Quanto agrupo empresarial que o quer despedir,para eles só tenho um qualificativo "falta de vergonha".
Abraço
Márcia a 6 de Novembro de 2009 às 15:33
Fui ouvinte atenta das crónicas no Radio Clube Português , estranhei de facto deixar de o ouvir, força, desejo as maiores felicidades, no futuro.

Sobre os senhores da prisa não tem qualquer qualificação o que fizerem consigo, penso que nem merecem as palavras que possamos escrever sobre eles.


Maria
Maria Aguiar a 13 de Novembro de 2009 às 16:41
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
31
comentários recentes
"A Tua Consciencia", Antonio María Lunardi...........
Apresentações do livro “Saude 24 horas” pelo autor...
"Humanidad ibérica".......
Juan Luis Cebrián fechou CNN+......
Adeus Pedro. Até sempre.
Caro Pedro Por uma amiga comum venho apenas agor...
quer um conselho dum colega de luta (sou utente do...
Pedro, só agora, depois de o ver na rtp1, percebi...
Pedro Boa noite, Foi uma pena que tenha dado tanto...
Uma perfeita injustiça. Como é possível tal coisa....
arquivos
links
blogs SAPO